Escrito em

INFORMATIVO

N˚ 26 – Junho/2016

O que rola por aí

——————————————

 

 Estudantes do Rio Grande do Sul se manifestam contra “Escola sem Partido” e a privatização do ensino público

Os estudantes gaúchos ocuparam cerca de 150 instituições do Estado por mais de um mês em reação contra uma guinada conservadora no sistema de ensino público, ameaça que consideram iminente por causa de dois projetos de lei em pauta na Assembleia.  O PL 103//2015, tramitava em caráter de urgência e pretendia repassar a administração das escolas públicas para a iniciativa privada, por meio de “organizações sociais”. Já o PL 867/2015 quer implementar uma espécie de “escola sem partido”, cortando assuntos supostamente políticos do currículo. “Esse projeto é a cara da Ditadura Militar. Imagine ter aulas de história sem estudar política. Não faz o menor sentido”, afirma Isabela Luzardo Monteiro, da vice-diretora Sul da Ubes.

Leia a notícia completa em: 

http://brasil.elpais.com/brasil/2016/06/23/politica/1466708749_682715.html?id_externo_promo=ep-ob&prm=ep-ob&ncid=ep-ob/

Saiba mais os PL em:

http://www2.al.rs.gov.br/noticias/ExibeNoticia/tabid/5374/IdMateria/300608/language/pt-BR/Default.aspx/

http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=1050668/

 

Moção de Repúdio ao Projeto de Lei “Escola sem Partido”

No dia 06 de junho, a Congregação da Faculdade de Educação da UFMG veio a público expressar seu desacordo com a proposição que está em tramitação, na forma de Projeto de Lei denominado “Escola sem Partido”, no Senado e em diversos órgãos legislativos dos estados e municípios brasileiros. O PL em questão assume a direção de um aberto cerceamento da livre expressão de posicionamentos políticos e pertencimentos religiosos, alegando, de forma reducionista e unilateral, que se trata de uma abordagem “apartidária”. Da mesma forma, projetos semelhantes se propõem a criminalizar os docentes que propõem temáticas relacionadas à diversidade e aos direitos humanos, ao impedir que o tema das diferenças de grupos tais como as mulheres, negros, indígenas, demais populações tradicionais e população LGBTT seja abordado nas aulas. 

Leia a notícia completa em: 

http://observatoriodajuventude.ufmg.br/2940-2/

Professoras(es) de diversas instituições de ensino também se posicionam contra o PL.

Confira a página do facebook em: 

https://www.facebook.com/contraoescolasempartido/posts/1598496560442654:0/

 

“Estudantes ocupam reitoria da UFG contra a cultura do estupro”

Cerca de 600 estudantes da Universidade Federal de Goiás (UFG) realizaram na manhã do dia 15/06 uma manifestação contra a Cultura do Estupro. Trata-se da terceira manifestação sobre o tema em menos de dois meses. Segundo os organizadores a gota d´água foi uma tentativa de estupro acontecida na noite do dia 14/06 nas redondezas do prédio da Faculdade Comunicação.

Leia a notícia completa em: 

https://jornalistaslivres.org/2016/06/estudantes-ocupam-reitoria-da-ufg-contra-cultura-do-estupro/

 Saiba mais sobre o tema em: 

http://www.cartacapital.com.br/sociedade/a-cultura-do-estupro/

 

Ocupação Tina Martins se torna Casa de Referência da Mulher

A Ocupação Tina Martins teve início no dia 8 de março, no antigo prédio da Escola de Engenharia da UFMG e tinha como principal reivindicação a implantação de uma casa de abrigo que atenda, acolha e proteja a mulher violentada e, se for o caso, também suas/seus filhas(os). Após mais de 100 dias de ocupação, a luta das mulheres, principalmente das jovens conquistou um novo endereço no bairro Santa Efigênia, na Região Leste de Belo Horizonte (Rua Paraíba, 641), onde passa a funcionar a Casa de Referência da Mulher Tina Martins.

A casa presta todo tipo de atendimento às mulheres, desde economia solidária para elas conseguirem renda, até encaminhamento psicológico, jurídico, médico, rodas de conversas etc. Mais de 200 integrantes do movimento se revezam nesse trabalho. O movimento também alcançou a inclusão na Rede de Enfrentamento a Violência Contra a Mulher que integra serviços da região metropolitana.

Leia a notícia completa  em:

http://www.otempo.com.br/cidades/ocupa%C3%A7%C3%A3o-se-muda-e-vira-casa-de-refer%C3%AAncia-%C3%A0-v%C3%ADtima-1.1313675/

Saiba mais sobre o tema em: 

https://www.facebook.com/Ocupacaotinamartins/?fref=ts/

 

Nosso Amor Existe

O documentário “Nosso Amor Existe”, produzido pelo fotógrafo Ricardo Puppe e o jornalista Theo Borges, reafirma a importância da visibilidade para emancipação, empoderamento e para abrir um debate com a sociedade sobre os direitos iguais, civis e de expressão de afeto, além de humanizar o amor na diversidade. O curta faz parte da campanha “Nosso Amor Existe”, na qual, as/os jovens LGBT’s lutam por uma sociedade livre de preconceitos e violências. No dia 28 de junho é comemorado internacionalmente o “Orgulho LGBT”.

Leia a notíciacompleta em:

http://www.nos2.co/2016/06/no-dia-do-orgulho-conheca-o-documentario-nosso-amor-existe/
Saiba mais sobre a campanha em: 

https://www.facebook.com/nossoamorexiste/?fref=ts/

 

Em debate na UFMG, jovens apontam prioridades para garantir inclusão e justiça social

Centenas de jovens participaram, na tarde do 22, no auditório da Reitoria da UFMG, do debate “Que Brasil queremos? O que dizem os/as jovens?”. O evento reuniu representantes de coletivos e movimentos sociais, que apresentaram opiniões sobre temáticas diversas. Com intensa participação do público, a atividade também contou com batalhas de freestyle, competição de rimas de improviso e intervenções artísticas do DJ e educador social Russo AprApr e do grupo Nosso Sarau.

Leia a notícia completa em:

https://www.ufmg.br/online/arquivos/044078.shtml

 

Revista totalmente idealizada e produzida por jovens é lançada no início de julho, em BH. Reportagens discutem temas no campo dos direitos das juventudes.

A Oficina de Imagens, organização da sociedade civil de Belo Horizonte, lança mais uma edição da Revista Rolimã. Neste sexto número, o diferencial é que as matérias foram escritas, em sua totalidade, por jovens.

A revista foi lançada em 2014 e é destinada especialmente a profissionais da área da infância que se envolvem diretamente com a garantia de direitos de meninos e meninas. Distribuída gratuitamente, a revista chega a conselheiros tutelares e conselheiros dos direitos de todos os municípios de Minas Gerais, além de mais de 300 organizações que atuam na defesa dos direitos humanos no Brasil. Nesta edição especial, além de disseminar informações que deem suporte à atuação desses profissionais, a revista traz à luz o ponto de vista das/os próprias/os adolescentes e jovens sobre os problemas por elas/es enfrentados em seu cotidiano e nas suas comunidades.

Identidades LGBT, criminalização da cultura periférica, obsolescência das metodologias de ensino, falta de oportunidades de formação e trabalho para as/os jovens de municípios de pequeno porte e um olhar a partir de dentro do sistema socioeducativo são alguns dos temas abordados nesta edição.

O lançamento será dia 5 de julho, às 13h30, na Oficina de Imagens (Rua Salinas, 1101, Santa Tereza – Belo Horizonte). Na ocasião, haverá um debate com as/os jovens que produziram a revista, além de convidadas/os como Thiago Herdy, presidente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), e a ex-ministra das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, Nilma Lino Gomes. 

Além disso, em celebração aos 18 anos da ONG na trajetória pela promoção e defesa dos direitos de crianças e adolescentes, haverá uma festa na rua, com música, cinema e barraquinhas de caldos, sanduíches e doces. A festa começa a partir das 17h30, na rua GennaroMasci, ao lado da sede da Oficina de Imagens.

Saiba mais sobre a Oficina de Imagens em:

http://oficinadeimagens.org.br/quem-somos/historia/

Leia as outras cinco edições da Rolimã em: 

https://issuu.com/oficinadeimagens4/stacks/0e37da3991994ba5b0a1391532ff1303/

 

Acontece no OJ

——————————————

 

Fórum das Juventudes da Grande BH

No mês de Junho, dentre as atividades assumidas pelo Fórum das Juventudes da Grande BH (https://www.facebook.com/forumdasjuventudesBH/?fref=ts), destacamos o processo de reabertura do Centro de Referência da Juventude (https://www.facebook.com/OcupaCRJ/?fref=ts), o CRJ.

Depois do desgastante processo de ocupação do Centro por grupos, coletivos e pessoas independentes e do difícil diálogo com a Prefeitura de Belo Horizonte nesse período, conseguimos pactuar a reabertura e funcionamento do espaço, assim como a criação de metodologias para garantir o sistema de gestão compartilhada.

Dito isso, criou-se um comitê de gestão provisória, formado por membros da prefeitura e membros da ocupação, para construir um seminário que visa elaborar um projeto que seja eficaz de gestão de solidariedade mútua, para a garantir que a pluralidade das juventudes seja representada na condução do CRJ. Nesse intervalo de tempo, enquanto não é oficialmente aberto, o Centro de Referência continuará recebendo atividades culturais e educativas supervisionadas pelos próprios membros da anterior ocupação. 

As oficinas ministradas pelo Fórum aos membros da Escola Profissionalizante Santo Agostinho (EPSA) também continuaram nesse semestre, com uma avaliação positiva do processo feita pelos participantes. 

Não menos importante, o Fórum das Juventudes recebeu o convite para auxiliar o CRAS (Centro de referência de Assistência Social) de Nova Lima, na criação de oficinas de formação para a juventude da localidade, haja vista a carência de projetos destinados a essa categoria. A Secretaria Executiva junto a outros membros do Fórum se propuseram a criar metodologias de participação, interação e de educação para abranger os jovens dessa região.

Saiba mais sobre o Fórum em:

http://forumdasjuventudes.org.br/

 

Pacto Nacional pelo Fortalecimentos do Ensino Médio – PNEM

Nos dias 04 e 05 de maio de 2016 foi realizado em Curitiba o III Seminário do Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio (PNEM). O evento reuniu representantes do Ministério da Educação, das Secretarias Estaduais de Educação de todo o país e das universidades públicas participantes deste programa. O objetivo foi avaliar as etapas de formação I e II e discutir perspectivas de continuidade do PNEM. Durante o evento ocorreram palestras sobre políticas de formação docente, apresentação dos indicadores e resultados das etapas I e II, Grupos de Trabalho para avaliação e discussão de propostas de formação continuada de professores, coordenadores pedagógicos e gestores do Ensino Médio. O seminário foi finalizado com uma plenária que tratou dos encaminhamentos das propostas apresentadas durante o seminário para a continuidade de políticas de formação continuada dos professores de ensino médio.

Saiba mais sobre o Pacto em:

http://observatoriodajuventude.ufmg.br/pacto-mg/

 

Projeto Processos Educativos com Jovens

O projeto de extensão “Processos educativos com Jovens”, desenvolvido pelo Observatório da Juventude e pelo Fórum das Juventudes da Grande BH dá continuidade as suas atividades após o “Encontrão das Juventudes”. As desigualdades de gênero, a violência policial e o direito à cultura, arte e lazer são os temas presentes em reuniões, oficinas e encontros que estão sendo realizados no mês de junho nos territórios Ocupação Dandara, Santa Luzia e Sarzedo. Para o segundo semestre de 2016 estão previstos mais dois “encontrões” que reunirão todas/os jovens na Faculdade de Educação da UFMG.

Veja fotos do “Encontrão das Juventudes” em:

http://observatoriodajuventude.ufmg.br/encontrao-das-juventudes/

 

Intercambio: Encontro de Grupos e Entidades Juvenis

No dia 10 de junho, na sala da Congregação da FaE, o Observatório da Juventude recebeu a Fundação FEAC de Campinas/SP e um grupo de representantes de Movimentos Juvenis de Salesianos do Uruguai de Don Bosco. O objetivo do encontro foi conhecer as ações de pesquisa/ensino/extensão do OJ e conversar sobre a metodologia de trabalho com as juventudes desenvolvida pelo OJ. O encontro também contou com a participação do Fórum das Juventudes da Grande BH.

Saiba mais sobre os movimentos em: 
http://www.feac.org.br//

http://www.salesianosuruguay.org/mauxi/

Veja fotos do evento em: 
http://observatoriodajuventude.ufmg.br/intercambio-encontro-de-grupos-e-entidades-juvenis/

 

 

Roda de Conversa: “Vivências e olhares juvenis” 

No dia 03 de junho (sexta-feira), foi realizada uma roda de conversa com o tema “Vivências e olhares juvenis” mediada pela professora Juliana Batista (FaE/UFMG) e pela doutoranda Symaira (FaE/UFMG). O evento aconteceu na ocupação do Centro de Referência da Juventude, na Praça da Estação, às 14h.

Saiba mais sobre a Ocupação CRJ em: 
https://www.facebook.com/OcupaCRJ/?fref=ts/

 

Roda de Conversa: Conjuntura Política

No dia 17 de junho, as/os professoras(es) do Observatório da Juventude juntamente com as bolsistas, as/os doutorandas(os) e as/os mestrandas(os), debateram sobre a atual situação política do país e quais serão as implicações para a educação e para as juventudes.  O evento aconteceu na sala de Teleconferências da FaE, às 14h.

Veja fotos do evento em: 
http://observatoriodajuventude.ufmg.br/roda-de-conversa-conjuntura-politica//

 

Reunião de Encerramento do Semestre

No dia 01 de julho, será realizada uma reunião de encerramento do semestre, na qual, todos os projetos devem apresentar os desafios, os avanços e as perspectivas para o próximo semestre. O evento será realizado na sala de Teleconferências da FaE, às 14h.

Veja fotos do evento em:
http://observatoriodajuventude.ufmg.br/reuniao-de-encerramento-do-semestre/

 


Para enviar sugestões de notícias ou se você não quiser mais receber o Informativo OJ escreva para: estudosepesquisasoj@gmail.com

Se você não quiser receber mais os Informativos do OJ, clique aqui.


Expediente, pesquisa e produção: Thais Naves de Araújo Santos

Coordenação: Geraldo Leão

Compartilhe:
Facebooktwittergoogle_plusredditlinkedinmail