Escrito em

INFORMATIVO

N˚ 24 – Abril/2016

O que rola por aí
——————————

 

“Primeiro negro trans a se formar na UnB fala sobre suas experiências”

O jovem (Marcelo Caetano, 25 anos) ficou badalado na internet e nas redes sociais depois de fazer um discurso politizado, emocionado e igualmente emocionante em sua colação de grau. Formou-se este ano na Universidade de Brasília (UnB), em ciências sociais. Na apresentação, falou de gênero, de raça e do direito de os pobres estarem em lugar, na maioria, reservado para ricos. “Pra chegar até aqui, atravessei cerca de arame farpado”, declarou.

Leia a notícia completa em: 

http://www.geledes.org.br/direitos-humanos-golpe-impeachment-corte-interamericana-de-direitos-humanos/

Assista o vídeo em: 

https://www.youtube.com/watch?v=sfZ2E7pR0ko

 

Ocupações realizadas nas escolas em SP, ganham novo documentário

As ocupações realizadas pelos secundaristas no estado de São Paulo, no final de 2015, foi uma grande luta e resistência da juventude pelos seus direitos. Esse processo foi registrado pelo cineasta argentino Carlos Pronzato e teve como resultado o documentário “Acabou a paz, isso aqui vai virar o Chile”.

Veja a notícia completa em: 

http://www.geledes.org.br/ocupacao-das-escolas-em-sp-segundo-um-novo-documentario-que-esta-no-youtube-por-cidinha-da-silva/

Assista o documentário em:

https://www.youtube.com/watch?v=LK9Ri2prfNw

 

 “Denúncias de fraudes na merenda levam estudantes a reocupar escola em São Paulo”

Os estudantes protestam contra a falta de merenda e as denúncias de corrupção nos contratos da alimentação dos alunos da rede estadual. Na tarde da última quinta-feira (28), os secundaristas já haviam ocupado o Centro Paula Souza, autarquia responsável pela administração do ensino técnico no estado.

Veja a notícia completa em:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2016-04/denuncias-de-fraudes-na-merenda-levam-estudantes-reocupar-escola-em-sao

“Secundaristas protestam com intensa atividade cultural durante ocupação de escolas no Rio”

O movimento de ocupação das escolas no Rio de Janeiro ganhou força. O número chegou a mais de 70 escolas ocupadas e o que elas têm em comum, além das reivindicações que incluem temas como eleição direta para diretores, melhorias nos espaços físicos e superlotação das salas de aula, é uma intensa agenda cultural, que começou há algumas semanas. Diariamente, as escolas têm recebido artistas, intelectuais, professores, chefs de cozinha e outros simpatizantes de diferentes áreas no que vem sendo chamado de transformação do espaço público em espaço público ativo e crítico.

Veja a notíciacompleta em:

http://jornalistaslivres.org/2016/04/secundaristas-protestam-com-intensa-atividade-cultural-durante-ocupacao-de-escolas-no-rio/

Assista vídeos sobre o tema em:

https://www.facebook.com/ocupahl/videos/227495544276370/

https://www.facebook.com/AstecaNewsBR/videos/1603184603328565/ 

“CCJ volta a debater redução da maioridade penal por via constitucional”

Dois anos após rejeitar a redução da maioridade penal pela via constitucional, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) volta a analisar, proposta de emenda à Constituição (PEC 33/2012) do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) que abre a possibilidade de penalização de menores de 18 anos e maiores de 16 anos pela prática de crimes graves. O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) continua relator da matéria e, dessa vez, apresentou um substitutivo que manteve a aprovação do texto de Aloysio Nunes e rejeitou outras três propostas (PECs 2011, 21 e 115/2015) que tramitam em conjunto.

Veja a notícia completa  em:

http://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2016/04/19/ccj-volta-a-debater-reducao-da-maioridade-penal-por-via-constitucional

 

Programa “Identidade Jovem” para juventude brasileira de baixa renda

O programa “Identidade Jovem”, fornecerá um documento de identificação para jovens de 15 a 29 anos com renda familiar de até dois salários mínimos e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).  A disponibilização da Identidade Jovem amplia direitos e assegura as conquistas do Estatuto da Juventude, compromissos do governo para inclusão social, como a garantia a meia-entrada no acesso a eventos artístico-culturais e esportivos.

Veja a notíciacompleta em:

http://www.brasil.gov.br/cidadania-e-justica/2016/03/identidade-jovem-vai-beneficiar-18-4-milhoes-de-brasileiros-de-baixa-renda

 

 

O que rola por aí – Especial
———————————————

 

Entre os dias 31 de março e 1 de abril o golpe militar foi instaurado no Brasil, o qual durou 21 anos (1964-1985) de violações aos diretos humanos. Nós, do Observatório da Juventude UFMG acreditamos na importância de resgatar a memória da juventude que lutou contra o esse regime autoritário para o reestabelecimento de seus direitos e da democracia no Brasil. Muitos jovens desse período estão mortos ou desaparecidos, inclusive os estudantes da UFMG Gildo Macedo Lacerda, Idalísio Soares Aranha Filho, José Carlos Novaes Mata Machado e Walkíria Afonso Costa. “Para que não se esqueça. Para que nunca mais aconteça”, selecionamos algumas notícias e sites informativos: 

 “Alunos impedem professor de homenagear golpe militar em sala de aula” 

Na Faculdade de Direito do Largo São Francisco (FDUSP), no 31 de março, o professor Eduardo Botelho Gualazzi tentou prestar uma homenagem aos militares com a leitura de uma carta chamada “Ode ao Golpe Militar de 64“. Os alunos se mobilizaram para repudiar a ação do docente e, de acordo com a estudante do segundo ano de direito Isabella Ferreira,  o objetivo do ato era impedir que o professor utilizasse a sala de aula para comemorar a “revolução”.

 

Veja a notícia completa em:

 http://www.geledes.org.br/alunos-impedem-professor-de-homenagear-golpe-militar-em-sala-de-aula/

 

“Em memória aos 52 anos do golpe militar”

Na Luta pelos Direitos Humanos, jamais esqueceremos um dos períodos mais perversos de nossa história: o Golpe Militar em 31 de março de 1964.  Um tempo em que direitos foram suprimidos, marcado por prisões, assassinatos, julgamentos militares feitos à revelia, desaparecimentos e violências aos direitos humanos. Tempos de truculência e desrespeitos. Reconstruir a democracia e o direito de cada um tem sido a luta do dia a dia da Secretaria Especial de Direitos Humanos do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos.

Veja a notícia completa em:

http://juventude.gov.br/juventude/noticias/em-memoria-aos-52-anos-do-golpe-militar

Leia mais sobre o tema em:

 http://memoriasdaditadura.org.br/

 

Comissão Nacional da Verdade (CNV)

A Comissão Nacional da Verdade foi criada pela Lei 12528/2011 e instituída em 16 de maio de 2012. É uma entidade que teve como finalidade investigar e resgatar a memória dos fatos e das violações de direitos humanos ocorridos no período militar, para que se realizem as reparações adequadas às vítimas e para que as violências não se repitam no regime atual, tendo como base e objetivo o lema: “Verdade, memória, reparação, justiça e reforma das instituições”.

Leia mais sobre o tema em:

http://www.cnv.gov.br/institucional-acesso-informacao/a-cnv.html

 

Acontece no OJ

—————————————

 

Fórum das Juventudes: Encontro de Planejamento Estratégico

O Fórum das Juventudes da Grande BH no mês de Abril de 2016 priorizou a elaboração das suas diretrizes políticas pós encontro de planejamento estratégico que aconteceu em Mario Campos no início do ano.

Após o encontro, o Grupo Gestor se reuniu com o propósito de definir ações para as demandas do ano, tendo como uma de suas principais iniciativas a idealização de oficinas para jovens da Escola Profissionalizante Santo Agostinho (SIC – EPSA) que é mantida pelos Freis Agostinianos através da Sociedade Inteligência e Coração.

Nesse sentido, o Fórum tem se reunido com membros da Escola Profissionalizante e comunidade para a discussão de metodologias de projetos que abarquem esses jovens.

Outra política importante encaminhada no encontro de planejamento estratégico foi a discussão da abertura e funcionamento do Centro de Referência da Juventude em Belo Horizonte (CRJ). Os principais objetivos desse espaço são: promover atividades de cultura, lazer, esporte, educação, formação profissional, dentre outras, voltados para o público de 15 a 29 anos; produzir e divulgar informações de interesse dos jovens; ampliar a formação, o conhecimento, as oportunidades e as habilidades que auxiliem na inserção social dos jovens; articular-se com entidades e instituições ligadas ao universo da juventude, bem como integrar e apoiar iniciativas locais.

O Fórum das Juventudes chama a atenção para o fato de que a burocratização para a abertura do espaço impede que a juventude da Grande BH o acesse e usufrua de sua estrutura. Nessa perspectiva, o Fórum, junto com vários atores da sociedade (militância e cultura) está desenvolvendo táticas de mobilização do público para que o local se torne acessível.

Saiba mais sobre o Fórum em:

http://forumdasjuventudes.org.br

 

Projeto Cine-debates

O próximo cine-debate irá discutir o filme “Eu, Pierre Rivière, que degolei minha mãe, minha irmã e meu irmão” Do diretor René Allio, o filme é baseado no livro do filósofo francês Michael Foucault,. A realização será no dia 18 de maio, às 19h no auditório do 2° andar no CAD I e contará com a presença dos debatedores Profº Marco Antônio Alves (Departamento de Filosofia/FAFICH/UFMG) e Profº Pedro Castilho (FaE/UFMG).

 

Grupo de Estudos do OJ

No dia 15 de abril, tivemos mais um encontro do nosso Grupo de Estudos, com o tema “Juventudes e Violências” com mediação de Sebastião Everton de Oliveira (Fórum das Juventudes) e contamos com a presença de integrantes do NOSSO SARAU (https://www.facebook.com/nosso.sarau.1?fref=ts). Foi uma tarde repleta de estudos e emoções.

No dia 29, outro encontro foi realizado com o tema “Adolescência e juventude”, com a participação do professor Pedro Castilho (FaE/UFMG).

Veja fotos do encontro em:

http://observatoriodajuventude.ufmg.br/categoria/producao/fotos/

 

Conversa – “Democracia e autoritarismo na cultura política brasileira”

No dia 04 de abril, o projeto Pensar a Educação Pensar o Brasil – 1822/2022 juntamente com o Observatório da Juventude UFMG, realizaram uma conversa com o tema “Democracia e autoritarismo na cultura política brasileira” para promover um debate sobre a crise política brasileira e sobre os 52 anos do golpe militar de 1964. O evento foi realizado no Auditório Luiz Pompeu (FaE/UFMG) e teve como convidada a professora Miriam Hermeto (Departamento de História/FAFICH)

Saiba mais sobre o Pensar a Educação Pensar o Brasil – 1822/2022 em:

https://www.facebook.com/pensar.aeducacao/?fref=ts

http://www.pensaraeducacao.com.br/

 

Seminário Aberto – Juventudes em debate: Juventudes em luta: as ocupações das escolas em São Paulo

No dia 12 de abril foi realizado um seminário aberto com o tema “Juventudes em debate: Juventudes em luta: as ocupações das escolas em São Paulo juvenis”, no Auditório Luís Pompeu (FaE/UFMG), com a participação do doutorando da faculdade de educação da UNICAMP, Jonas Medeiros.

Veja fotos do encontro em:

http://observatoriodajuventude.ufmg.br/seminario-juventudes-em-luta-as-ocupacoes-das-escolas-em-sp/

 

Seminário de Pesquisa – Tarifa Zero é Mais! Experiências de contestação social de jovens ativistas em Belo Horizonte

No dia 20 de maio será realizado o seminário de pesquisa: “Tarifa Zero é mais! Experiências de contestação social de jovens ativistas em Belo Horizonte” do doutorando Igor Thiago Moreira Oliveira orientado pelo professor Geraldo Leão. O evento será realizado na Sala de Teleconferências na Faculdade de Educação (FaE) UFMG às 14h.

 

Para enviar sugestões de notícias ou se você não quiser mais receber o Informativo OJ escreva para: estudosepesquisasoj@gmail.com

Se você não quiser receber mais os Informativos do OJ, clique aqui.

 

Expediente, pesquisa e produção: Thais Naves de Araújo Santos

Coordenação: Geraldo Leão

 

Compartilhe:
Facebooktwittergoogle_plusredditlinkedinmail