Dispositivo de Inovação no Ensino Superior: A Produção do Docentis Innovatus e Discipulus Iacto

A inovação tornou-se um imperativo na sociedade contemporânea. Os sujeitos são demandados a se constituírem como inovadores. Para isso, eles conduzem suas ações no sentido de mudar, desenvolver valores, criar e, assim, inovar. Observa-se, portanto, uma urgência em se produzir sujeitos inovadores que sejam ativos, participativos, competitivos e autônomos para atender demandas inscritas na racionalidade neoliberal. A fim de atender a tal demanda, a docência universitária é acionada na produção desses sujeitos. Nesse sentido, esta investigação teve como objetivo compreender como se produz o docente inovador no ensino superior. O corpus da pesquisa é constituído por legislações (Emenda Constitucional 85/2015, Lei nº 10.973, Lei 13.243), políticas públicas, editais e, mais especificamente, pelos Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPCs) de graduação em Medicina, Enfermagem, Engenharia Ambiental e Física da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pelas respectivas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) desses cursos. Compôs também o corpus de análise da pesquisa o curso de formação de professores denominado “Percursos Formativos em Docência do Ensino Superior”, ofertado pela Diretoria de Inovação e Metodologias de Ensino, vinculada à Pró-Reitoria de Graduação da UFMG, bem como entrevistas realizadas com participantes/docentes dos Percursos. Utilizou-se como referencial teórico a perspectiva pós-estruturalista, especificamente as ferramentas teóricas e analíticas do filósofo Michel Foucault, a saber: dispositivo, discurso, poder-saber e posição de sujeito. Por meio da rede metodológica que articulou elementos da netnografia educacional pós-estruturalista, de entrevistas narrativas e da análise do discurso de inspiração foucaultiana desenvolveu-se o argumento geral de que a sociedade da inovação, inscrita na racionalidade neoliberal, demanda sujeitos competitivos, proativos e autônomos. A fim de responder a essa urgência, o dispositivo de inovação é acionado, tendo a universidade como sua engrenagem mestra e como efeito a produção das posições de sujeito docentis innovatus e discipulus iacto. Constatou-se que a docência inovadora é regulada por marcas constitutivas. São elas: utilizar a formação por competências, atuar como mediador dos processos de ensino-aprendizagem, incorporar tecnologias digitais, centralizar-se na aprendizagem e utilizar metodologias ativas. Elas atuam no governo da docência inovadora. Além disso, o docente inovador também se autogoverna por meio de operações que exerce sobre si como inquietar-se e mudar a si mesmo. Enfim, todas essas formas de governo dos outros e de si colocadas em funcionamento produzem a posição de sujeito docentis innovatus. Esta dissertação mostra que a docência inovadora, por meio de suas marcas constitutivas, está em continuidade com a produção de estudantes ativos, competitivos e proativos – disponibilizando a posição de sujeito discipulus iacto – e está em descontinuidade com a fabricação de estudantes receptivos e reprodutores de conhecimento – discipulus rustics – ao atender demandas da racionalidade neoliberal.

Dissertação-após-defesa.pdf download View | Download
Keywords: Discurso, Dispositivo, Docência do ensino superior, Inovação, Posições de sujeito
Categories: Dissertação, Produção, Produção Científica